quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Crescimento das favelas do RJ


O crescimento das favelas está diretamente ligado ao descumprimento de alguns princípios que norteiam a administração pública.
A administração quando não impede o crescimento das favelas, está negligenciando os seguintes princípios:
Princípio da indisponibilidade: pois o administrador não pode escolher se age ou não, ele é obrigado a intervir quando recebe denúncias de construções irregulares.
Principio da auto-executoriedade: quando envia um projeto de lei à casa legislativa para a aprovação de medida que autoriza a construção de muros nas encostas de mata atlântica, pois a administração não necessita de aquiescência de nenhum outro poder para tal medida, que pode ser adotada via decreto autônomo.
Princípio da supremacia do interesse público: quando deixa o interesse dos especuladores imobiliários se sobrepor o interesse público. Dados do último senso demonstraram que 70% dos moradores de favelas moram de aluguel, logo, sustentam uma minoria que vive da exploração do espaço urbano, construindo desordenadamente, sem freios e sem a coação do poder de polícia administrativa.
Princípio da Razoabilidade: não é razoável que alguém pague uma fortuna de IPTU para morar num bairro médio, enquanto outro mora num bairro de elite, com vista permanente para o mar, sem nada pagar à Fazenda municipal. Também não é razoável instalar postes de luz nas favelas e permitir que a concessionária divida seu prejuízo com o restante da população. Não é razoável faltar reiteradamente, água e luz em bairros médios, planos e coletor de seus impostos, e levar estes serviços às novas favelas, sabendo que isto é fator sine qua non para o seu crescimento, pois, sem luz e água, ninguém constrói barraco.
Estes são os princípios mais atingidos pela omissão dos administradores municipal e estadual. A causa aparente é a compaixão humana, pois fazem a população acreditar em que nada pode ser feito que não prejudique duramente aquelas pobres pessoas. As desculpas são sempre as mesmas, sempre relacionadas ao trabalho: moram ali porque é perto de onde estão as ofertas de emprego; porque falta transporte público na zona oeste, por isso moram na zona sul, etc. Mas verdade é bem outra, está intrínseca no ser humano e é regra entre os habitantes destas comunidades: o comodismo.
Foi-se o tempo em que era exclusivamente o pobre o morador da favela, hoje temos uma classe média emergente vultosa dentro destas comunidades, basta ver seus eletrodomésticos de última geração, seus Honda New Civic e suas picapes Hilux. Pra quem nunca entrou numa destas comunidades é até difícil de imaginar esta discrepância social. Muitos continuam a viver ali, mesmo tendo condições de morar em outro lugar. Mas por que não o fazem? Comodismo. Ali não pagam impostos para serviços essenciais, tampouco para os supérfluos como o famoso GatoNet. Faço altear que na minha opinião o fator intelectual e espiritual também são decisivos, pois mudar para outro bairro e conviver com pessoas de nível cultural diferente, seria muito intimidador para quem “subiu na vida” alugando kitinetes, vendendo irregularmente gás, dirigindo um comércio invisível para a Fazenda Pública, ou pior, porém corriqueiro, lavando dinheiro do parente miliciano. Quanto ao fator espiritual, o nível vibratório dos que podem, mas não querem sair destas comunidades, revela um espírito juvenil, cru, que vê tudo ali com brilho nos olhos, pois está tudo ali à mão: álcool, drogas, corrupção de menores, prostituição, pedofilia, adultério, e outros vícios que comprazem espíritos que precisarão de muitas outras existências para se indignar com tudo aquilo.
Mas tem os que deixam as favelas e vão morar na Barra da Tijuca e Recreio. Muitos morando em imóveis que limpam o dinheiro do tráfico e da milícia. Tentaram morar na zona sul, mas os moradores de lá são mais seletivos. Na Barra se fala alto no bar, pode-se andar com uma prostituta ou uma adolescente a tira-colo, ninguém se importa.
O que fazer para sustar o crescimento das favelas?
Penso que o controle de natalidade é o marco inicial, mas sei que se trata de uma utopia num país em que os políticos imploram pelos votos dos líderes cristãos. Muro nas encostas; controle de imigrantes como fazem os estados do sul do país, onde quem chega e não arruma emprego em até 3 meses, ganha passagem da prefeitura pra voltar para sua terra natal; a derrubada diária de construções irregulares, isto intimidaria os especuladores, prisões por furto de energia, pagamento de passagem para os desempregados voltarem para suas famílias, etc..
Muito pode ser feito, mas é preciso agir sem se preocupar em reeleição. Infelizmente o voto de um morador de comunidade que não faz o menor esforço para diminuir sua cegueira política, vale o mesmo de quem se interessa em estudar seus candidatos e votam com responsabilidade. Com o crescimento das favelas, crescem também os currais eleitorais de políticos inescrupulosos que se mantém no poder pra manter o status quo.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Virtude cristã: isto existe?

"Fator preponderante para que o indivíduo seja virtuoso é a razão" Aristóteles.

Esta frase define não só a virtude em si, como também nos permite compreender o porquê do cristão não ser virtuoso. O cristianismo se baseia em histórias fabulosas contadas por pessoas sem qualquer conhecimento técnico sobre aquilo que afirmavam ser verdadeiro ou falso. Em igual situação estavam os que escreviam estas histórias a fim de preservar aqueles factóides à prosperidade.
Como Aristóteles afirmou, não havia como pessoas sem senso de razão serem virtuosas. Como resultado, corrupção, selvageria, lascívia e auto-tutela de seus direitos era o que regia aquele povo judeu. Os 10 mandamentos foram a primeira atitude racional tomada pelos líderes tribais de então, eles foram uma solução que eclodiu da necessidade de se positivar a lei que até então era oral. Mas de que adiantam as leis se o indivíduo é irracional? Por mais que a lei diga o que pode e o que não pode, ela só pode agir externamente ao indivíduo, ou seja, só poderá punir, não transformar. Esta transformação intrínseca só acontece quando o indivíduo se racionaliza.
Segundo Immanuel Kant, "razão é a capacidade de bem julgar e distinguir o verdadeiro do falso, que é em outras palavras, a personificação do bom senso". E o que vem a ser o bom senso? É a capacidade de o homem agir racionalmente,colocando-se no lugar do outro e agindo como espera que este outro aja comsigo mesmo. Isto é o bom senso, isto é ética, isto é o que o cristão não consegue fazer, pois foi doutrinado para acreditar numa punição ou premiação somente após sua morte, logo o presente não é o momento de preocupações já que ele tem uma vida inteira pra se arrepender. O cristão não crê mais no sacrifício da cruz, tampouco nos galardões por bom comportamento, a doutrina da libertação foi abandonada e preterida pela teologia da prosperidade, que ensina que você nasceu pra ser rico, pois seu Pai é o dono da prata e do ouro, então você deve ser rico custe o que custar. Viver de forma egoísta e agir sem se preocupar com as conseqüências ao próximo, gera um fardo muito pesado para a sociedade.
O cristianismo admitiu que perseguiu homens racionais durante eras, mas será que hoje ele não faz pior? Doutrinam as pessoas para serem homofóbicas, fechadas à novas realidades e inférteis a novas idéias. As discursões sobre a união civil homoafetiva e o aborto de anencéfalos não chega às igrejas, lá não há dialética, há somente certezas. Chego a conclusão de que o cristianismo falhou na sua principal missão: espalhar o consenso do amor ao próximo. Hoje são o egoísmo, o sectarismo, o preconceito e o proselitismo que mantém a esmagadora maoria de nossa nação com suas mentens estéries. Há solução? Enquanto votarmos em mandatários que imploram pela benção (e votos) dos líderes religiosos,não haverá.
Reflita.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Bastidores da Igreja Universal



Imunidade Tributária pra templos de qualquer culto funciona assim:

a carga tributária fecha as portas de quem gerava emprego e reinvestia o capital na empresa, em lazer, educação e bens de consumo no país. No lugar, abre uma igreja que não paga impostos, nem gera emprego. Esta igreja, retém 20, 30, e em alguns casos, 100% do capital de algumas famílias. Este dinheiro vai para paraísos fiscais, logo, não são reinvestidos aqui, enfraquecendo a economia e gerando inflação e desemprego. Parte deste dinheiro volta para construir mais igrejas e também para financiar campanhas políticas. Pra terminar o ciclo, eles manobram seus fiés a votarem nos políticos que manterão as coisas como estão.
Precisa comentar alguma coisa?

Será que só quem não é da igreja, percebe que todos eles imitam a voz e gestos do Edir Macedo? Padronização empresarial explícita.
Nem MC Donalds é tão padronizado.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Tirica é aprovado


A história se repete e mais um cearense paga propina pra se dar bem. Não adianta se revoltar com o juiz, tem de queimar a casa do safado pra ver se ele aprende a ser honesto.
Aqui no Rio de Janeiro os cearenses moram nos condomínios caros da Barra da Tijuca, e pagam propina para manterem-se com seus crimes típicos: milícia, tráfico de drogas, venda de gás, gatoNet, comércio irregular, e a especulação imobiliária em área de proteção ambiental, transformando a mata atlântica em favelas, com seus prédios mal feitos, mas que lhes rendem suntuosas cifras de aluguel.
A cada dia surge mais uma favela no Rio. Se não controlar-mos a migração, nossa cidade estará condenada pela favelização. Sem falar nos efeitos colaterais: violência, tráfico, milícia, roubos, estelionatos, perda do emprego pra alguém que se não tem metade da cultura e competência do carioca, mas se sujeita a receber metade pelo mesmo trabalho, sem ligar pra excesso de horas, afinal, eles só trabalham, bebem na Passarela da Barra, em frente ao Barra Shopping, ou onde tiver um vendedor de cerveja conterrâneo, além disso, fumam e vão pros bailes funk e forró. Não estudam. Pra que mais tempo?

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Hanseniase (2): pensão para ex-internos.

3092 pensões de R$750,00 para os que ficaram internados nas colônias. Desde 2007 a
Secretaria Especial dos Direitos Humanos determinou o pagamento de pensão vitalícia a quem ficou recluso nos campos de concentração mais conhecidos pela nomenclatura "colônia". Esta secretaria hoje é o órgão mais bombardeado pelas instituições cristãs católicas e protestantes, por conta do rompimento desta secretaria com os preconceitos e dogmas, e suas medidas progressistas em prol de minorias que não são bem aceitas pelas igrejas. Mais informações em http://blog.planalto.gov.br/hanseniase-com-pensao-e-sem-preconceito/trackback/

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Hanseniase: o Brasil é o segundo do ranking mundial

A doença também conhecida como lepra ou morféia, colocou o Brasil no segundo lugar no mundo. Com mais de 20 casos por 10 mil habitantes, só ficamos atrás da Índia. O nordeste tem os maiores focos da doença, e do preconceito também. A causa da doença é o bacilo de Hansen, já a causa do preconceito são o persistente semi-analfabetismo, a falta de informação e a anacrônica fé cristã.
Vergonhosa a postura de nossos compatriotas cristãos, que mantém a tradição de exclusão total dos direitos basilares dos afetados pela doença. Ate a década de 50, os doentes eram laçados com forcas idênticas as usadas para laçar cães. Eram retirados a força do seu convívio social, e internados (presos) compulsoriamente por tempo indeterminado nos campos de concentração disfarçados de clínicas, conhecidos como "colônias", onde eram misturados a doentes mentais e psicopatas cumprindo pena. Estava sendo executada, abertamente, a prisão perpetua. Os pais doentes tinham seus filhos internados em instituições onde eram mantidos até os 18 anos, após este período eram deixados a própria sorte na rua. Sem profissão, sem emprego. A mesma sorte dos negros recém libertos 62 anos antes.
Os doentes que não eram capturados pela policia, por falta de espaço nas colônias, viviam pelas ruas, já que eram expulsos de casa pelos próprios familiares, que iam a missa todo domingo como se nada tivessem feito de horrendo. O preconceito era tão forte, que os doentes tinham de andar com sinos nos pescoços, como gados, para avisar aos transeuntes de sua chegada. Após sua passagem, tudo que os doentes tocaram e as calcadas onde pisaram eram lavados com crioulina. No final da década de 50 cientistas dos EUA descobriram a cura, a Sulfona chegou ao Brasil na década seguinte e
a partir
de 63 diminuíram os confinamentos, e os doentes passaram a serem tratados em clínicas regulares, junto com outros cristãos, não sem muito protesto. São Paulo resistiu a lei federal, persistindo com os campos de concentração até o final de 1987. A imigração para a cidade de centenas de nazistas fugitivos da Alemanha derrotada, talvez explique esta resistência.
Sociólogos brasileiros convergem no preceito de que o preconceito tão voraz era motivado pela crença cristã, visto que era uma doença bíblica e o povo ouvia dos sacerdotes que se tratava de um castigo divino, logo, toda má sorte a que os doentes eram expostos, era a vontade de deus.
Hoje, 50 anos depois da cura, o preconceito não cedeu, e sabe por que? Porque o crescimento do cristianismo também não cedeu. Enquanto o cristianismo continuar forte, os preconceitos dos séculos anteriores também serão. Acorda Brasil.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Padre pego no flagra coma empregada

você percebe que o mundo está acabando quando...


Consequências do humilhante flagrante:
- A mulher foi demitida sem receber qualquer indenização por seus anos de serviços.
- A mulher alega que o filho que ela espera é do padre.
- O padre ficou impune e cotinua a dar suas missas normalmente,como se nada tivesse ocorrido.
- O povo apóia o padre e se depender deles, leva a infiel para a fogueira.
300 anos após o fim da idade média,nada mudou no modus operandi da santa igreja.Vergonha.

Laudo Pericial

Taí uma profunda demonstração de conhecimento do ofício ...

Certa vez, em Penedo-AL, um delegado que atendia e registrava a queixa de uma moça que se dizia deflorada pelo namorado, na ausência de médico na cidade pediu um laudo por escrito a uma parteira afamada na região, para anexar ao processo.

Eis o que se deu:

"Eu , Maria Francisca da Conceição, parteira mor da cidade de Penedo, estado de Alagoas, declaro para o bem do meu ofício que, examinando os baixos fuditórios de Maria das Mercedes, constatei manchas rôxas na altura da críca, que pra mim ou foi supapo de pêia ou cabeçada de pica."

O delegado finalizou o inquérito, mas o promotor não ofereceu a denúncia, por motivos óbivios de carência de provas.

Fonte: Revista dos Tribunais, nº447

Coisas que só acontecem na terra dos sem pescoços.

Por que? por que?????

Por que? por que?????
500 leitores/dia vs 10 coments/dia. Vençam a preguiça e se expressem.

Postagens mais vistas no UrubuRJ