quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Nazismo no Brasil: Marcha em homenagem a Rudolf Hess




AOS neo NAZISTAS BRASILEIROS que querem organizar novamente a marcha em homenagem à Rudolf Hess, entendam que os neo nazistas alemães têm nojo por vcs pq vcs são LATINOS e MESTIÇOS. A sua perseguição aos negros brasileiros é patética.


Aprendam um pouco mais sobre os negros na WW2.

"Os que se auto-denominam baluartes da cultura, estão trazendo seus escravos para morrer em seu lugar."
Manchete de um jornal nazista em 1940 após a whermacht descobrir soldados negros trazidos das colônias francesas na África. Os alemães sempre criticaram a escravidão dos africanos pelos europeus ditos "defensores da liberdade e da fratrernidade."

Você não sabia, mas os negros lutaram em patamar de igualdade com compatriotas brancos pela França e pela Alemanha (sob o comando de Eugen Rommel). Os negros dos EUA e da Inglaterra sempre foram tratados como soldados de segunda classe. O fim da campanha dos negros pela Alemanha se deu a partir do final de 1941, quando Hitler decidiu não tentar mais fazer distinção entre os "negros puros" (de pele preta) e os mestiços (pele morena descendentes de das mulheres da Renãnia c
om soldados franceses, e os nascidos de casais interraciais alemaães).
Hans Massaquoi entre colegas de turma em Hamburgo 1939
Meninos negros e brancos estudando juntos na Alemanha nazista em 1939.


Não há registros de assassínio institucional e sistematizado dos negros, mas sabe-se que a maioria dos cerca de 30 mil que viviam na Alemanhã conseguiram fugir (o que não aconteceu com nenhuma outra raça perseguida), os que ficaram acabaram indo para campos de concentrção como mestiços. Os alemães fizeram uma campanha de 1935 a 1940 chamada AFRIKA SCHAU, com o intuito de atrair os negros da Europa a lutarem pelo mesmo pavilhão, lado a lado com os alemães arianos puros. 
Bertha com o filho Hans, tendo ao lado a foto do pai
Hans Jürgen Massaquoi nasceu em 19 de janeiro de 1926 em Hamburgo, filho de mãe alemã e pai liberiano. Tinha seis anos quando Hitler chegou ao poder. O pai de Hans era filho do cônsul da Libéria na Alemanha. Sua mãe, Bertha Baetz, era uma enfermeira de classe média baixa. O rico filho do diplomata africano interessou-se pela bela jovem ao vê-la em uma festa, e dessa relação nasceu o pequeno Hans.



Se esquisar vão descobrir que os negros africanos sempre foram respeitados pelos alemães que vinham neles força, robustez, postura, e talento para a arte e música. Os latinos, ao contrário, sempre foram os reles mestiços e ciganos dignos de repulsa. Vcs são patéticos.
http://papodehomem.com.br/marcha-nazista-no-brasil/

3 comentários:

  1. Vai se f.u.d.e.r, seu o.t.á.r.i.o!

    ResponderExcluir
  2. Eh um babaca mesmo!

    ResponderExcluir
  3. Se não quer morar no BRasil onde a miscigenação é o PRINCIPAL ponto, vai embora, FDP! Vai se masturbar que vc ganha mais!

    ResponderExcluir

Por que? por que?????

Por que? por que?????
500 leitores/dia vs 10 coments/dia. Vençam a preguiça e se expressem.

Postagens mais vistas no UrubuRJ